Mudanças entre as edições de "Ares pesados"

De Sexta Poética
Ir para navegação Ir para pesquisar
(inspirado por [.g.evaneios.] - http://gevaneios.blogspot.com/2011/05/ares-pesados.html)
 
(de fato esses últimos versos, que já havia omitido no blog da g., só atrapalham...)
 
Linha 1: Linha 1:
 
<poem>
 
<poem>
 
 
"O Blogger não está disponível no momento"
 
"O Blogger não está disponível no momento"
  
 
...diz o blogger na área para deixar comentários.
 
...diz o blogger na área para deixar comentários.
  
Ou melhor, Blogger, a inicial maiúscula com que se refere a si mesmo o
+
Ou melhor, Blogger, a inicial maiúscula com que se refere a si mesmo o robô, já assumindo uma personalidade.
robô, já assumindo uma personalidade.
 
  
 
Enfim, até a revolução tecnológica nos falha, quem sabe de tão humana.
 
Enfim, até a revolução tecnológica nos falha, quem sabe de tão humana.
Linha 51: Linha 49:
  
 
Criação!
 
Criação!
 
 
Pois se primeiro foi o verbo.
 
 
N'além do tempo, fomos nós.
 
 
~>*<~
 
 
 
</poem>
 
</poem>
  

Edição atual tal como às 11h42min de 18 de julho de 2018

"O Blogger não está disponível no momento"

...diz o blogger na área para deixar comentários.

Ou melhor, Blogger, a inicial maiúscula com que se refere a si mesmo o robô, já assumindo uma personalidade.

Enfim, até a revolução tecnológica nos falha, quem sabe de tão humana.

A cegueira é o acreditar. Até mesmo o acreditar em desacreditar.

Não há categorias no amor.

E sem o que conhecer ou desconhecer.

Apenas reconhecemos.

Uma espera que acaba em nós mesmos, não em outro.

Porque amar é reconhecer que não há.

Que estamos sós.

E a partir disso cuidarmos uns dos outros.

Para dar um sentido que transcenda nossa solidão.

Não porque há um sentido a ser entregue, não há nada ali.

A não ser o vazio para criá-lo.

Um sentido. Uma história. Uma memória.

Uma vida. Uma metáfora. Um poema.

Mandar um e-mail.

Para um destino incerto.

Respirar fundo o ar pesado e áspero.

Por aquilo que nos faz sentir.

E reter esse sentimento.

Até exalar uma reação.

Num grito.

Criação!


inspirado por http://gevaneios.blogspot.com/2011/05/ares-pesados.html