Mudanças entre as edições de "Poema do agradecimento"

De Sexta Poética
Ir para navegação Ir para pesquisar
(revertendo IPs apagões)
Linha 47: Linha 47:
 
</poem>
 
</poem>
  
You have shed a ray of sunsihne into the forum. Thanks!
+
==Zaida==
 +
<poem>
 +
Sem palavras fico
 +
Antes tenho eu que agradecer
 +
Pelo espaço concedido
 +
Pelos novos amigos
 +
e principalmente
 +
ao poeta e amigo Nevinho
  
Fell out of bed feenilg down. This has brightened my day!
+
Que muito modesto me mostrou um destino
 +
Um canto...
 +
Ou em canto poético
 +
Cujo bilhete de passagem é a poesia
 +
Lá podemos estar abrigados
 +
De quaisquer intempéries
 +
Podemos sonhar, desabafar, sorrir,
 +
Chorar... Até gritar! Já ouvi gritos...
 +
Mas, são poemas e poemas sempre encantam
 +
 
 +
E assim vamos
 +
Em cada palavra, cada verso
 +
Traduzindo louvores de agradecimentos
 +
Às vezes, disabores de aborrecimentos
 +
Mas, sempre acantonados
 +
Encantados
 +
No canto ou num canto
 +
Sempre poético...
 +
 
 +
Sim, agradeço!
 +
 
 +
 
 +
</poem>
 +
 
 +
==Solstag==
 +
<poem>
 +
A tudo que me faz poesia
 +
 
 +
Agradeço às putas por não me seduzirem
 +
Às mulheres que amo por não me amarem
 +
Às noites de insônia, tristeza e angústia
 +
À frieza do ecrã, à maciez das teclas
 +
E ao ruído incessante da ventoinha
 +
 
 +
A cada ciclo no silício,
 +
Mais rápido que nossa mente
 +
E mais quente que nosso corpo,
 +
Transmitindo nossos equívocos e acertos
 +
Indiferentemente
 +
 
 +
Agradeço ao Névio por criar este espaço
 +
Ao espaço por conter as estrelas
 +
Às estrelas por negarem seu abraço
 +
</poem>
 +
 
 +
==Crie a sua seção==
 +
<!---Crie sua própria seção na linha acima à "seção convite" e não apague esta--------------->
 +
 
 +
 
 +
{{Comentário}}[[Categoria:Poemas abertos]]

Edição das 03h34min de 27 de julho de 2011

Se você tem algo a agradecer a alguém, esta é a página certa.
Crie no final a sua seção e agradeça o que quiser a quem/o que quiser.

Névio

Agradeço a Deus por acreditar em mim e me revelar o fabuloso mundo wiki.

Agradeço aos amigos Ale/Solstag e Ozymandias/Pissardini por se unirem a mim
neste movimento poético colaborativo.

Agradeço aos amigos da Wikimedia Brasil por confiarem em mim e navegarem comigo
nos por vezes tormentosos mares do aprendizado.

Agradeço à Zaida por me acompanhar nessa viagem sem destino,
onde a poesia nos leva e traz derruba e levanta acaricia e sacode

Agradeço ao Pedro Paulo Carbone por ter me confiado o desenvolvimento da wiki corporativa Sinapse.

Agradecido sou à Paula e Tarsila, que me aturam com amor meus momentos de pouca paciência,
nenhum agradecimento
e muitas e tantas horas dedicadas ao martírio poético.

Obrigado, Drummond, sua resposta afetuosa fixou em mim as brumagens da poesia.

Quando a noite quis acabar e a vida era apenas uma promessa,
a Beth Mori e meus amigos da microfilmagem me acolheram,
me fazendo acreditar que o futuro dependia de mim. Obrigado!

Sou agradecido também ao colega Edmilson Brasil,
que me ensinou a colocar os envelopes nos escaninhos dos aposentados
na Agência Central do Banco do Brasil, em 1974.

Também à Norminha, personagem do Jô Soares,
por emprestar apelido a funcionário de banco
no caso o gerente geral que em minha posse
avisou-me eu ser uma pecinha do Grande Relógio; agradeço
por descobrir, anos depois, que as pessoas são parte de algo maior
mas como peças que têm vida própria.

Agradeço aos que pude ajudar
e me fizeram útil
e agradeço aos que aceitaram meu trabalho
e me distrairam da sensação de inutilidade.

Zaida

Sem palavras fico
Antes tenho eu que agradecer
Pelo espaço concedido
Pelos novos amigos
e principalmente
ao poeta e amigo Nevinho

Que muito modesto me mostrou um destino
Um canto...
Ou em canto poético
Cujo bilhete de passagem é a poesia
Lá podemos estar abrigados
De quaisquer intempéries
Podemos sonhar, desabafar, sorrir,
Chorar... Até gritar! Já ouvi gritos...
Mas, são poemas e poemas sempre encantam

E assim vamos
Em cada palavra, cada verso
Traduzindo louvores de agradecimentos
Às vezes, disabores de aborrecimentos
Mas, sempre acantonados
Encantados
No canto ou num canto
Sempre poético...

Sim, agradeço!

Solstag

A tudo que me faz poesia

Agradeço às putas por não me seduzirem
Às mulheres que amo por não me amarem
Às noites de insônia, tristeza e angústia
À frieza do ecrã, à maciez das teclas
E ao ruído incessante da ventoinha

A cada ciclo no silício,
Mais rápido que nossa mente
E mais quente que nosso corpo,
Transmitindo nossos equívocos e acertos
Indiferentemente

Agradeço ao Névio por criar este espaço
Ao espaço por conter as estrelas
Às estrelas por negarem seu abraço

Crie a sua seção