Mudanças entre as edições de "Sexta, 01/06/2007"

De Sexta Poética
Ir para navegação Ir para pesquisar
m (formatação)
 
Linha 1: Linha 1:
{{Comentário}}<poem>
+
<poem>
 
 
 
 
 
PAA
 
PAA
  
Linha 20: Linha 18:
 
também se abre
 
também se abre
 
o acolhendo com seus braços de esperança.
 
o acolhendo com seus braços de esperança.
 +
</poem>
  
  
 
{{Comentário}}[[Categoria:Livro Poemas sem fim]]
 
{{Comentário}}[[Categoria:Livro Poemas sem fim]]

Edição atual tal como às 14h29min de 11 de dezembro de 2016

PAA

Na última caminhada para o hall dos elevadores,
ele se virou de repente esquecido de algo.
Logo percebeu que não, não era nada,
e continuou, passou pelos banheiros,
aquela caminhada levando sua história,
as portas se abriram automaticamente
e ele entrou, mais de trinta anos depois
da singela cerimônia de posse
numa pequena cidade do interior.
O Banco não é o que ele sonhou.
O País não é o que ele sonhou.
O mundo não é o que ele sonhou.
Mesmo assim, quando chega lá embaixo,
a porta se abre e um mundo novo
também se abre
o acolhendo com seus braços de esperança.