Mudanças entre as edições de "Usuário:Solstag/Língua portuguesa neutra de gênero"

De Sexta Poética
Ir para navegação Ir para pesquisar
(justificando a escolha de "el" sobre "le")
(Melhorias nos princípios, ajustes correspondentes e mais casos)
 
(6 revisões intermediárias pelo mesmo usuário não estão sendo mostradas)
Linha 3: Linha 3:
 
Alguns princípios que sigo:
 
Alguns princípios que sigo:
  
# A letra E designa o gênero neutro.
+
# A letra "e" designa o gênero neutro.
# Tudo o que já era de dois gêneros passa também a ser neutro
+
# Toda palavra que já era de dois gêneros passa também a ser neutra.
# O neutro constrói-se sobre a forma feminina, pois sua terminação é mais regular.
+
# O neutro constrói-se a partir da forma feminina, pois sua terminação é mais regular.
# Flexões neutras, como plurais, constroem-se sobre os originais e não flexionando o neutro.
+
# Flexões neutras, como plurais, constroem-se sobre as flexões femininas e não flexionando o neutro.
# Quando E conflitar com o masculino, a letra É designa o neutro por encontrar-se foneticamente entre E e A.
+
# Quando "e" conflitar com o masculino, busca-se características fonéticas do feminino; na ausência, utiliza-se "ae".
# Demais soluções justificam-se caso a caso pelos princípios seguintes.
+
# Quando "e" for afônico, utiliza-se terminações inspiradas de línguas latinas, em ordem: "ae", "ane"
# Modifica-se o mínimo a língua existente, mas sempre que necessário.
 
 
# A tonicidade das palavras deve ser observada.
 
# A tonicidade das palavras deve ser observada.
 
# A estética da língua portuguesa, com sua ritmicidade e suavidade, deve ser respeitada.
 
# A estética da língua portuguesa, com sua ritmicidade e suavidade, deve ser respeitada.
 
# Casos difíceis podem buscar soluções em línguas aparentadas.
 
# Casos difíceis podem buscar soluções em línguas aparentadas.
 +
# Inova-se o mínimo a língua, mas sempre que necessário.
 +
  
 
== Artigos ==
 
== Artigos ==
Linha 18: Linha 19:
 
* a / o : el
 
* a / o : el
 
** dupla ambiguidade com "e" e "é" obriga a introdução de um "l" natural a línguas latinas; o som é como em "mel".
 
** dupla ambiguidade com "e" e "é" obriga a introdução de um "l" natural a línguas latinas; o som é como em "mel".
** "le" destoaria da língua, onde artigos abrem com vogais, e não permite ocultar o som "l" na ausência de ambiguidade.
+
** "le" destoaria da língua, onde artigos abrem com vogais, não permite ocultar o som "l" na ausência de ambiguidade, e não permite resolver contrações.
 
* as / os : es
 
* as / os : es
** o som pode ser como "es" ou "és", para opcionalmente harmonizar com o substantivo (es vizinhes / és agricultorés).
+
** "els" violaria os princípios de construir sobre a flexão feminina e de respeitar a estética da língua.
** "els" violaria tanto o princípio da solução mais simples como a estética da língua.
 
  
 
=== Indefinidos ===
 
=== Indefinidos ===
Linha 28: Linha 28:
  
 
== Substantivos ==
 
== Substantivos ==
 +
Regular:
 +
* a gata / o gato : el gate (es gates)
 +
* uma gata / um gato : ume gate (umes gates)
 +
 +
Invariante:
 +
* a amante / o amante : el amante (es amantes)
 +
 +
Conflitante:
 +
* a autora (as autoras) / o autor (os autores) : el autore (es autoraes)
 +
* a agricultora / o agricultor : el agricultore (es agricultoraes)
 +
: Plural ambíguo resolvido com "ae".
 +
 +
Terminações "g_" e "c_":
 
* a amiga / o amigo : el amigue (es amigues)
 
* a amiga / o amigo : el amigue (es amigues)
* uma amiga / um amigo : ume amigue (umes amigues)
+
* a macaca / o macaco : el macaque (es macaques)
* a autora / o autor : el autore (es autorés)
+
 
* a amante / o amante : el amante (es amantes)
+
Terminação "ia":
 +
* a índia / o índio : el índiae (es índiaes)
 +
: No singular obteria-se um "ie" afônico, soluciona-se com "ae".
 +
 
 +
Terminação "ã":
 
* a irmã / o irmão : el irmane (es irmães)
 
* a irmã / o irmão : el irmane (es irmães)
: a órfã / o órfão : el órfane (es órfães)
+
* a órfã / o órfão : el órfane (es órfães)
:* feminino com terminação irregular, no singular obteria-se um "-ãe" foneticamente impróprio, soluciona-se por inspiração em línguas latinas.
+
: No singular obter-se-ia um "ãe" afônico, "ae" igualmente, soluciona-se com "ane".
  
 
== Adjetivos ==
 
== Adjetivos ==
 +
Regular:
 
* a marceneira talentosa / o marceneiro talentoso : el marceneire talentose
 
* a marceneira talentosa / o marceneiro talentoso : el marceneire talentose
 +
 +
Invariante:
 +
* a jogadora azul / o jogador azul : es jogadoraes azuis
 +
 +
Excepcionais:
 
* a boa amiga / o bom amigo : el bone amigue (es bones amigues)
 
* a boa amiga / o bom amigo : el bone amigue (es bones amigues)
** caso excepcional, solução inspirada em línguas latinas.
+
: Caso excepcional, solução inspirada em línguas latinas.
 +
* a má amiga / o mau amigo : el male amigue (es males amigues)
 +
: Caso excepcional, solução inspirada em línguas latinas.
  
 
== Pronomes retos ==
 
== Pronomes retos ==
 
* ela / ele : éle
 
* ela / ele : éle
** fusão fonética das formas binárias que permite preservar a tonicidade sem introduzir novos sons.
+
** fusão fonética das formas binárias permite preservar a tonicidade sem inovação.
 
* elas / eles : éles
 
* elas / eles : éles
** fusão fonética das formas binárias que permite preservar a tonicidade sem introduzir novos sons.
+
** fusão fonética das formas binárias permite preservar a tonicidade sem inovação.
  
 
== Possessivos ==
 
== Possessivos ==
Linha 53: Linha 78:
  
 
== Demonstrativos ==
 
== Demonstrativos ==
* essa / esse : essé
+
* essa / esse : ésse
* esta / este : esté
+
** fusão fonética das formas binárias permite preservar a tonicidade sem inovação.
 +
* esta / este : éste
 +
** fusão fonética das formas binárias permite preservar a tonicidade sem inovação.
  
 
== Contrações ==
 
== Contrações ==
* à / ao : ae
+
* à / ao : al
 +
** afonia de "ae" resolvida pelo artigo singular "el"
 
* às / aos : aes
 
* às / aos : aes
* da / do :
+
* da / do : del
** ambiguidade com "de" obriga emprego do fonema alternativo É.
+
** ambiguidade de "de" resolvida pelo artigo singular "el"
 
* das / dos : des
 
* das / dos : des
 
* nas / nos : nes
 
* nas / nos : nes
Linha 66: Linha 94:
  
 
== Exemplos de emprego da linguagem neutra aqui proposta ==
 
== Exemplos de emprego da linguagem neutra aqui proposta ==
Tua cunhada veio à partida das garotas e trouxe à minha irmã uma toalha para secar seu suor.
+
Tua cunhada veio à partida das garotas e trouxe à minha irmã uma toalha para éle secar-se.
: Tue cunhade veio à partida des garotes e trouxe ae minhe irmane uma toalha para secar seu suor.
+
: Tue cunhade veio à partida des garotes e trouxe al minhe irmane uma toalha para éle secar-se.

Edição atual tal como às 02h22min de 22 de março de 2021

Há um grande número de documentos sobre os esforços para aperfeiçoar a língua portuguesa acrescentando um gênero neutro: [1], [2], [3], [4]. Pessoalmente, há muito tempo eu penso a respeito e tinha meu conjunto de regras pessoais, mas sempre me faltou sistematizá-las. Resolvi fazê-lo aqui, levando em conta o corpo já existente de práticas e reflexões a esse respeito.

Alguns princípios que sigo:

  1. A letra "e" designa o gênero neutro.
  2. Toda palavra que já era de dois gêneros passa também a ser neutra.
  3. O neutro constrói-se a partir da forma feminina, pois sua terminação é mais regular.
  4. Flexões neutras, como plurais, constroem-se sobre as flexões femininas e não flexionando o neutro.
  5. Quando "e" conflitar com o masculino, busca-se características fonéticas do feminino; na ausência, utiliza-se "ae".
  6. Quando "e" for afônico, utiliza-se terminações inspiradas de línguas latinas, em ordem: "ae", "ane"
  7. A tonicidade das palavras deve ser observada.
  8. A estética da língua portuguesa, com sua ritmicidade e suavidade, deve ser respeitada.
  9. Casos difíceis podem buscar soluções em línguas aparentadas.
  10. Inova-se o mínimo a língua, mas sempre que necessário.


Artigos

Definidos

  • a / o : el
    • dupla ambiguidade com "e" e "é" obriga a introdução de um "l" natural a línguas latinas; o som é como em "mel".
    • "le" destoaria da língua, onde artigos abrem com vogais, não permite ocultar o som "l" na ausência de ambiguidade, e não permite resolver contrações.
  • as / os : es
    • "els" violaria os princípios de construir sobre a flexão feminina e de respeitar a estética da língua.

Indefinidos

  • uma / um : ume
  • umas / uns : umes

Substantivos

Regular:

  • a gata / o gato : el gate (es gates)
  • uma gata / um gato : ume gate (umes gates)

Invariante:

  • a amante / o amante : el amante (es amantes)

Conflitante:

  • a autora (as autoras) / o autor (os autores) : el autore (es autoraes)
  • a agricultora / o agricultor : el agricultore (es agricultoraes)
Plural ambíguo resolvido com "ae".

Terminações "g_" e "c_":

  • a amiga / o amigo : el amigue (es amigues)
  • a macaca / o macaco : el macaque (es macaques)

Terminação "ia":

  • a índia / o índio : el índiae (es índiaes)
No singular obteria-se um "ie" afônico, soluciona-se com "ae".

Terminação "ã":

  • a irmã / o irmão : el irmane (es irmães)
  • a órfã / o órfão : el órfane (es órfães)
No singular obter-se-ia um "ãe" afônico, "ae" igualmente, soluciona-se com "ane".

Adjetivos

Regular:

  • a marceneira talentosa / o marceneiro talentoso : el marceneire talentose

Invariante:

  • a jogadora azul / o jogador azul : es jogadoraes azuis

Excepcionais:

  • a boa amiga / o bom amigo : el bone amigue (es bones amigues)
Caso excepcional, solução inspirada em línguas latinas.
  • a má amiga / o mau amigo : el male amigue (es males amigues)
Caso excepcional, solução inspirada em línguas latinas.

Pronomes retos

  • ela / ele : éle
    • fusão fonética das formas binárias permite preservar a tonicidade sem inovação.
  • elas / eles : éles
    • fusão fonética das formas binárias permite preservar a tonicidade sem inovação.

Possessivos

  • minha / meu : minhe (minhes)
  • tua / teu : tue (tues)
  • sua / seu : sue (sues)

Demonstrativos

  • essa / esse : ésse
    • fusão fonética das formas binárias permite preservar a tonicidade sem inovação.
  • esta / este : éste
    • fusão fonética das formas binárias permite preservar a tonicidade sem inovação.

Contrações

  • à / ao : al
    • afonia de "ae" resolvida pelo artigo singular "el"
  • às / aos : aes
  • da / do : del
    • ambiguidade de "de" resolvida pelo artigo singular "el"
  • das / dos : des
  • nas / nos : nes
  • pras / pros : pres

Exemplos de emprego da linguagem neutra aqui proposta

Tua cunhada veio à partida das garotas e trouxe à minha irmã uma toalha para éle secar-se.

Tue cunhade veio à partida des garotes e trouxe al minhe irmane uma toalha para éle secar-se.