A bailarina e eu

De Sexta Poética
Ir para navegação Ir para pesquisar

<poem>

(Para Rosa Said)

Dedos das mãos unidos o peito aberto quadril bem encaixado e os braços... os braços em movimento sinuoso ondas cheias no alto mar.

Lá vai dançarina com sua postura ereta no calçadão ou na areia aspergindo elegânca sobre a plebe rude povo inocente que não sabe o que lhe falta e não sente por isso tristeza alguma.

Fico mais desolado ainda Construindo castelinhos que o vento leva consciente da elegância que me falta.