ESTÁTICO

De Sexta Poética
Ir para navegação Ir para pesquisar

<poem>


Minha quietude se mistura Com a quietude das coisas Meu silêncio se casa Com o silêncio da sala Sento-me na cadeira E seria quase uma cadeira Se não fosse a carne do meu corpo E minhas pernas que andam Fico assim Cadeira, mesa, chão... Até que alguém chegue E se surpreenda com a minha imobilidade Então sem vontade Finjo viver Agora já não sou cadeira Ando, falo e tenho pressa.